quinta-feira, 5 de maio de 2016

[Resenha] Aquele Semestre Incrível

| |

Autor - Glauco Lima Stauffenberg
Ano de publicação - 2015
Editora - Poesias Escolhidas

SINOPSE: Ela era uma estudante do terceiro ano e ele do primeiro. A escola era a mesma. Os colegas também. Ele quer ser jornalista. Ela, advogada.
Ele ama demais, mas ela só quer ter prazer. Dois sentimentos diferentes que todos teimam em chamar de amor. Para ficarem juntos eles terão que enfrentar desafios. Será que estes jovens serão capazes de suportar as pancadas da vida?




Pedro morava no interior e veio para a cidade grande para terminar o ensino médio e poder cursar uma boa faculdade. Pedro conhece Jeane, foi amor a primeira vista (da parte dele), Jeane namorava outro rapaz quando os dois se conheceram.

Jeane é mais velha e mais experiente que Pedro. Jeane nem mesmo chegou a terminar o namoro para começar outro ao mesmo tempo com Pedro, que estava apaixonado demais para perceber que Jeane não era uma pessoa tão correta assim.

Assim que os dois começam a namorar firme, ele começa a receber mensagens anônimas dizendo para tomar cuidado e abrir o olho com Jeane, mas Pedro não quis acreditar, preferiu ignorar as mensagens e manter o relacionamento, pois acreditava nos sentimentos dela.

Digamos que os papeis estejam invertidos aqui. Jeane age sem pensar nos sentimentos da pessoa com quem se envolve e Pedro é aquele que sofre por não ser correspondido.

Nós mulheres, sempre pensamos que homem não sofre, mas sofre sim, principalmente quando encontram alguém como Jeane, insensível e irresponsável.

Independentemente de ser homem ou mulher é preciso ter um equilíbrio nas relações, saber lidar com a rejeição, com a perda e principalmente não ser uma pessoa fria e insensível a ponto de não notar o mal que está fazendo ao outro!

Este livro nos trás uma trama bem séria e que está cada vez mais presente nos nossos dias, é uma prova de que mesmo em tramas jovens, podemos repensar algumas coisas e avaliar outras. E que nem sempre devemos depositar tudo de nós em um amor qualquer.


Gostei bastante da leitura, é leve e rápida, pode ser feita em duas horas ou até menos, dependendo do seu ritmo de leitura. Eu mesma, o li no metrô enquanto estava voltando da Bienal haha

Recomendo!

Acompanhe o blog através das redes sociais:

16 comentários:

  1. Oi Alana, tudo bem?
    O livro parece ser bem legal. Infelizmente o tema que ele aborda é tão recorrente no nosso dia-a-dia. Cada vez é mais comum ver a desvalorização do amor na nossa sociedade. Acredito que apesar de ser um livro juvenil, traz uma mensagem importante para todos, tanto homens quanto mulheres. Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adorei que desta vez é a menina que é escrota. Concordo com o que você fala sobre as mulheres pensarem que homem não sofre, mas sofre sim. E esse livro parecer ser bem esclarecedor em relação a isso

    ResponderExcluir
  3. Oi Alana, a proposta de fazer com UE a menina não seja uma "caminha" foi massa, to cansada dessas donzelas de sempre.

    L. Xx
    Meumundodalua.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. daminha* o corretor do meu celular me odeia.

      Excluir
  4. Adoreiiii essa capa, achei linda.
    Quando li a sinopse me assustei, geralmente, nas histórias, a mocinha é a mais apegada né?! Bacana mostrarem um outro lado também.
    Acho que eu preciso ler, já que não acredito muito nisso não hahahahahaha.

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim e até mesmo na vida real, sempre vemos a mulher como a "coitada", a que sempre sofre, foi bom ter uma percepção do que os homens passam também rs

      Excluir
  5. Gente que capa lindaaa <3 Tenho certeza que eu iria amar esse livro, pois já estou cansada de livros onde o homem manda na relação. Sempre digo que prefiro uma relação reciproca ou homens brandos, e esse livro me agradou muito. Gostei muito da sua resenha, parabéns.
    Beijos.

    http://www.livrofilia.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, concordo com você! Essas histórias já ficaram até cansativas e sempre sabermos como será o final :/
      Obrigada, beijos

      Excluir
  6. Hey,

    Nossa adorei essa capa! Me lembra muito o casal Abbi e Travis de Belo Desastre *----*
    Gostei muito da sua opinião, e fiquei curiosa para saber mais sobre esse livro. Gosto super de livros fluídos que numa sentada dar para ler. Dica anotada!

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Adorei a capa, também gostei da menina ser mais que uma donzela apaixonada . Já quero ler!
    biblitoecasdealexandria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi flor, Gostei muito da sua resenha, fiquei curiosa pra ler o livro!!! A capa bem legal.
    One
    https://onebooksoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Gostei da capa.
    Achei interessante a premissa do livro. Essa Inversão de papéis foi interessante. Já adicionai na listinha. Beijos!!

    ResponderExcluir
  10. Confesso que não gosto muito do gênero, mas é sempre bom abrir oportunidades né haha.
    Adorei a postagem!
    www.misteriosliterarios.com.br

    ResponderExcluir
  11. Adorei a resenha,vou adicionar na minha lista (quilométrica kkkk). Infelizmente o que mais acontece ultimamente é esse tipo de relacionamento, ninguém pensa no outro, so quer fazer o que bem entende, o que acaba fazendo com que outra pessoa sofra devido a sua irresponsabilidade e imaturidade.

    ResponderExcluir
  12. Adorei a resenha,vou adicionar na minha lista (quilométrica kkkk). Infelizmente o que mais acontece ultimamente é esse tipo de relacionamento, ninguém pensa no outro, so quer fazer o que bem entende, o que acaba fazendo com que outra pessoa sofra devido a sua irresponsabilidade e imaturidade.

    ResponderExcluir
  13. Amei a capa e estou louca pelas suas dicas, nunca ouvi falar desse livro, mas agora fiquei apaixonada! Adoro livros assim e infelizmente, as pessoas se tornam insensíveis e vão tornando isso um ciclo vicioso, porque os que se ferem se fecham para o amor e muitas vezes, não se abrem a novas experiências.

    Beijos, Carol
    Blog com V

    ResponderExcluir